Gilberto Gil canta animais do horóscopo e tarô

Nas muitas músicas espiritualizadas de Gil Gilberto predominam os animais do horóscopo e tarô de diferentes épocas e países. A cobra e o cão têm as maiores pontuações nas ciências ocultas. Gil canta: “A fé tá na cobra coral”, “vai passando a Procissão / se arrastando feito cobra pelo chão”. “Se eu quiser falar com Deus, tenho que virar um cão.”
Em cinco zoomúsicas de Gilberto Gil, peixes e leões aparecem fora do contexto. O Veado é uma música espirituosa, ideológica e provocativa: “Ser veado / Ter as costelas à mostra / Tê-la Eva bem exposta.”
Integrantes bovinos aparecem no ocultismo em forma de touro, boi, búfalo e vaca. Gil canta variáveis dessa subfamília: gado, boi, boiada, vaca, vaquinha, bezerro, bezerrinho. Na espiritualidade africana, “O berro do bezerro sangrando / Em agrado ao grande Ogum”, consta na letra de Serafim. No aspecto comercial, o compositor sugere: “Graça divina que a raça bovina dê / Leite e muito mais.” Com Francis Hime, o carro de boi é dourado. (No álbum Trinca de Ases, a ser lançado em 2018, Gil, Gal e Nando Reis poderão cantar juntos as metáforas de uma vaca na praia).
Mais de dez diferentes pássaros foram cantados. O Rouxinol, em parceria com Jorge Mautner, deu título ao álbum Nightingale. Cinco zoomúsicas têm olhares diferentes, inclusive simbólico, sobre o sabiá, tão destacado no cancioneiro brasileiro. Nas diversas músicas gravadas de Luís Gonzaga (e parceiros), tem Asa Branca, Assum Preto, A Volta da Asa Branca e sabiá. Outros pássaros são títulos musicais: Zabelê, A Gaivota e Three Little Birds, de Bob Marley.
Ainda associado às ciências ocultas, Gil canta o galo, caranguejo
, caprinos e equídeos. As pegadas do amor são sensíveis:Nem um bode pra sangrar / Uma cabra a espernear / Animal de sangue quente / Atacado a sangue frio / No chão do meu coração / Só as pegadas do amor.” Em outra pegada, “Se esporo mais nossa jega / A bichinha escorrega.”
O macaco guariba de 17 na Corrente, composição de Edgard Ferreira e Manoel Firmino, foi pego e acorrentado: “Venci na luta e a ele eduquei / Minha ordem pra ele é uma lei.” Para Gilberto Gil, “O mundo sabe o que faz”, até mesmo “sabe amar os animais”, reza a letra de Marmundo.
A zoomúsica espiritualizada de Gil poderá ser mais quantitativa na ópera Negro Amor, da qual o baiano participa. São canções sobre amor e divindades em torno da história entre Krishna e a camponesa Rhada.

Entre os 60 do horóscopo e tarô:

6 vezes: Cobra.
5 vezes: Cão.
4 vezes: Águia, Cabra, Carneiro, Coelho, Leão, Peixe(s), Serpente, Veado.
3 vezes: Bode, Cegonha, Escorpião, Galinha, Lagarto, Pássaro(s) / Passarinho, Touro, Urso.
Duas vezes: Boi, Búfalo, Caranguejo, Cavalo, Coruja, Crocodilo, Galo, Gato, Javali, Lobo, Macaco, Papagaio, Porco, Rato, Tigre, Touro, Vaca.
Uma vez: Abutre, Avestruz, Baleia, Borboleta, Burro, Camelo, Camundongo, Castor, Cervo, Corvo, Elefante, Falcão, Ganso, Jaguar, Lontra, Pantera, Pelicano, Peru, Pica-pau, Pombo, Raposa, Rãs, Salmão, Sapos.

Rebento zoo e enluarado

Na obra zoomusical de Gilberto Gil prevalece mais diversidade do que quantidade em mais de 50 diferentes animais cantados. Algumas zoos, de autoria própria e em parceria, foram gravadas somente por outros intérpretes. Elis Regina já foi a artista que mais o gravou, incluindo a cobra de Procissão,  “quando se amarrava cachorro com linguiça”, de Ladeira da Preguiça,  “como a corrente de um cão furioso”, em Rebento, e  o cão de Se eu quiser falar com Deus.
Com mais de 40 gravações até 2017, Gal Costa é a maior intérprete de Gil e deu voz a duas zoomúsicas com vários animais. Zoilógico (com Capinam) tem leão, girafa, serpente e carneiro. Em Musa Cabocla (com Wally Salomão), “Uirapuru canta no seio da mata / Papagaio nenhum solta um pio / Jiboia sou eu / Que queima na porta do formigueiro / E ouriça o pelo do tamanduá.”
Gilberto Gil tem quase 20 zoomúsicas em parceria, principalmente com Caetano Veloso, Torquato Neto e Capinam, os três parceiros mais recorrentes. Ele também é um intérprete zoo: Cantiga do Sapo, O Canto da Ema, O Pato e outras mais.
Os quatro álbuns com mais referências animais são de diferentes épocas e décadas. Em maior quantidade, As canções de Eu, Tu, Eles, do ano 2.000, seguido de Extra, 1983, A cidade de Salvador, 1973, e Festa na Fé, 2010.
Gil é lua. Mais de 20 canções autorais e em parceria têm a palavra lua, luar, lual, luares. “Conheço bem minha história / Começa na lua cheia”. A história musical dele começa com zoomúsica. O primeiro disco, Retirante, de 1962, tem peixe na musica Iemanjá, cavalo baio em Vento de Maio, minha sabiá, Zabelê. (Pra você, Gil, Aquele abraço!)

Divulgação:
https://jornalggn.com.br/noticia/gil-canta-animais-do-horoscopo-e-taro-por-silvio-reis

Ilustração: http://www.carmendiluccio.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s